• INICIO
  • Facebook
  • Twitter
  • Google +
  • Youtube
  • Contacto
  • Comentar
  • Feeds/Posts

20/04/2018

A constituição de 76 está de volta e o comunismo



 PS admite requisição de casas injustificadamente devolutas ou abandonadas.
Está na Constituição desde 76 a possibilidade de requisição de bens para interesse público.
Helena Roseta lembra que as pessoas têm direito [a ter casas vazias] mas quando há tanta necessidade, acho mais natural se uma casa não está a servir para ninguém possa ser requisitada mediante um pagamento justo durante um tempo para servir para alguém do que estar à espera não se sabe de quê ou de quem.

Posto isto, resta-me equacionar que estamos a viver num país onde a propriedade privada é uma utopia, e ao mesmo tempo pensar também que estamos num país da cortina de ferro, onde o Estado punha e dispunha não só das pessoas como dos seus bens, mas então não foi isto que os socialistas combateram o PCP na era do PREC? Foi!
Esta senhora deputada por aquilo que diz um dia destes vão chegar a casa de um português qualquer que tenha uma casa fechada, quais as razões não interessa, é um assunto particular de cada um porque tem direito à propriedade privada e fazer dela o que lhe vai na real gana, e dizem-lhe assim, meu amigo, você tem aí uma casa que está fechada e não pode ser, nós vamos requisita-la porque existem pessoas que precisam de habitação para viverem, e eu pergunto? Ma então o que tem Estado a ver com a minha casa? Eu tenho os impostos de lei pagos, a casa é minha e custou-me o meu suor, se a casa está fechada é porque me interessa, se arrendo ou não é um problema meu, e provavelmente metem-me dentro daquilo que é meu um um individuo que eu não conhece, não sei se é pessoa digna para viver dentro da  minha propriedade, se é digno de tal e eu fico calado e quieto? Assim, mais uma vez deixem-me pensar que afinal estou num país da antiga cortina ferro, não tenho dúvidas que estou!
700 mil casas a mais, diz a respeitada senhora, e depois? Qual é o problema? Se o Estado acha e quer ser tão social e quer oferecer algo a quem precisa, então construa casas e ofereça às pessoas necessitadas, como fez o Estado novo que foi sempre contestado por estes socialistas, mas o Estado novo nunca se apoderou da propriedade alheia, pois não?
Mais uma vergonha que eu peço para que nunca seja possível a sua concretização, porque se sim a propriedade priva passa a ser uma miragem e o investimento privado estará em causa, num país que tanto precisa dele como do pão para a boca. Comunismo puro!

08/03/2018

Segurem a banca e deixem lá cair a ponte, rapaziada






Um parafuso em aço com cerca de 60 centímetros e três quilos quase ia caindo em cima de um casal de turistas e de um português.

Foram encontradas fissuras numa zona estrutural da Ponte 25 de Abril, que podem afetar a segurança. Esta foi uma das conclusões do relatório que o Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) entregou ao Governo em fevereiro, divulgado esta quinta-feira pela revista Visão. O documento diz que, sem medidas urgentes, poderá ser necessário restringir o tráfego de pesados e de comboios de mercadorias.

Posto tudo isto o que dizer deste governo que nos governa? Governa? Então eu digo que estes senhores desrespeitam o povo, desrespeitam a vida humana, com uma atitude de desprezo pelos conselhos dados pelo (LNEC) e onde a desculpa é que o Secretário de Estado das Infraestruturas aguarda há seis meses pela resposta das Finanças para a libertação de 20 milhões de euros para as obras, seis meses?
Então numa infraestrutura desta natureza pode-se esperar seis meses por um despacho burocrático? Não brinquem comigo por favor, isto só mostra uma coisa que é, falta de respeito pelos utilizadores da dita ponte, já foi assim noutros tempos e noutras estruturas, mas o país é o mesmo, as merdas de outros tempos foram-se, mas as merdas de hoje continuam a nos desprezar desta forma negligente ou sei lá se é só negligência se outra ideia qualquer como uma espécie de uma atitude preconceituosa e discriminatória. Sem perdão!

25/02/2018

Bem mandados e cobardes!


Somos bem mandados e cobardes, valores? Foram-se, diz este senhor que houve um grupo de gente que se apoderou do Estado e dele tudo faz em seu belo prazer, que futuro nos espera? A pobreza, a indigência e a subserviência aos grupos que se ocuparam do Estado.
Vamos acordar, mas quem? Este povo? Não.........., um povo que foi picado pela mosca tse tse e sofre de demência permanente? Este povo que não sai do terceiro mundísmo e que se contenta com tudo, um povo intelectualmente medíocre ao nível dos povos africanos e sul americanos pode fazer algo por si? Não certamente, por tudo isto seremos sempre o cu da Europa e atrás de muitos de outros continentes.
Hoje que temos ao nosso dispor vias de comunicação como esta em que estou escrevendo este povo utiliza-as para quê? Para publicar banda desenhada, será por receio? Receio de quê? Ou será porque é incapaz de dizer o que sente? Talvez isso! Mesmo que fossem asneiras todos entendemos, deixem-se lá de esquisitices por favor, ou pensam que o politicamente correcto é que é fino e ficamos bem com Deus e com o Diabo? Não! O politicamente correcto é uma forma de tornar o povo mais humilde e de o conter com mansas frases sem se conseguir exprimir de forma a dizer o que sente. Vamos acordar por favor!

23/02/2018

Costa, um palhaço rico para o exterior

António Costa garantiu esta sexta-feira aos jornalistas, em Bruxelas, que Portugal “tem meios para contribuir com mais” para o orçamento comum da União Europeia.

Muito bem senhor Primeiro Ministro, ao falar assim fala muito bem, só que o senhor se esquece dos problemas do seu país, e um dos problemas que o seu povo enfrenta é a saúde, para não falar noutros, mas este o da saúde está altamente deplorável, são os centros de saúde que lutam por falta de pessoal médico, enfermeiros, materiais como, luvas, pensos, medicamentos e outros ou quase todos, os hospitais então quase não se pode chagar à porta, as filas são desesperantes para os pacientes e para quem por lá labuta, as cirurgias fazem-se a modos do século 18, pessoas com o fêmur fracturado e esperando cirurgia esperam semanas e a resposta são: se houver dinheiro para a prótese, esta semana não pode ser porque os enfermeiros estão em greve, para a próxima semana não se sabe, isto passa-se no hospital do Marafadagem, não sabia? então fica sabendo.
Tudo isto advoga o governo por falta de dinheiro, claro até acredito que exista essa necessidade, mas não nos venha dizer que Portugal “tem meios para contribuir com mais” para o orçamento comunitário, então se tem esse dinheiro todo só não tem para os cidadãos? Não sei onde está o seu socialismo, se calhar deve-o ter perdido algures.
Olhe primeiro pelo povo, depois as grandezas, porque isto não nenhum circo, só em actividades circenses é que se pode brincar aos ricos, é urgente cuidar da saúde dos portugueses, o senhor não precisa, é rico, não é? Mas o povo é pobre e sem ele o senhor não vive.
Continuo insistindo neste campo da saúde, olhe pelos portugueses porque um dia destes estamos todos doentes, se não é capaz demita-se, se a parte humana lhe fugiu, procuro-a. Tenho dito!

O BCE paga salários mínimos


O salário de Constâncio — de 340,200 euros por ano — não fica muito longe do de Mario Draghi: o presidente do banco central que decide a política monetária na Zona Euro recebeu quase 396.900 euros no ano passado. De um ano para o outro, ambos os responsáveis viram os seus ordenados aumentarem em 1,83%. Os restantes responsáveis do BCE receberam todos valores abaixo dos 300 mil euros. É o caso de Peter Praet, Benoît Coeuré, Yvs Mersch e Sabine Lautenschläger.

Posto isto o que posso pensar? Poso pensar e dizer que afinal a UE não foi criada por dá cá aquela palha, ela existe e foi criada para dar a palha aos senhores que o povo elege com o sentido de que lhes podem ser úteis, afinal a sua utilidade estão e são como mostra a foto acima.
O nosso Vitinha é um dos que tem tirado bastante proveito, desde o BP até ao BCE, não esquecendo os muitos bons serviços prestados no governo português, é um dos que tem extraído bastante rendimento e mordomias destas instituições, como não hão eles de se sentirem como peixinhos na água?
Não esquecendo de outros que são às centenas ou mesmo milhares nesta UE, e os povos desta UE? O que têm beneficiado, têm beneficiado o trabalho árduo e em muitos países mal pagos como no caso de Portugal, mas estão dentro do clube dos ricos e dentro das glórias da mesma Europa que continua a desiludir, protegendo os grandes com estes vencimentos e dando um pirolito aos seus servidores. Muitas felicidades Europa Unida.

16/02/2018

Queres ser lembrado? Então morre


Era português, chamava-se Marcus, foi modelo e cantava. Morreu, diz-se que de frio, no metro de Londres. 
A morte de um sem-abrigo, em Londres, um rosto que os "média" britânicos descrevem como estando ali há já algum tempo, no metro de Westminster, mas com quem ninguém se preocupou, traz a lume problemas que muitos não querem ver.
Marcus, tinha 35 anos e nacionalidade portuguesa, os jornais do Reino Unido dizem que foi modelo, que era também cantor, que sonhava com o dia em que ia voltar ao ativo e que ansiava já por encontrar um trabalho como empregado de mesa. A morte está ainda por explicar, há quem culpe o frio, mas não só.
No local onde faleceu alguns ramos de flores entre eles um do líder do Partido Trabalhista.

E agora? Agora se calhar até lhe vão fazer uma homenagem, mas enquanto ele dormiu e viveu na rua ninguém, mesmo ninguém se lembrou dele e de outros que não são poucos a viverem na rua.
Este por acaso até é português, morreu num país que eu considero civilizado e humano, mas não deixa de consentir tal crueldade a estas pessoas e outras que pelo mundo fora passam fome e não têm onde se proteger, a moral do países ocidentais é muito grande, só a moral, porque o resto ainda está longe, dizem os países ocidentais defender e proteger os direitos humanos, até penalizam outros por não os defenderem e os atacarem, então e vocês? Países ocidentais, não mereciam também serem penalizados? Mas e por quem?
Existem milhares de pessoas ou mesmo quem sabe muitos milhões, a viverem na rua e com fome, sem o mínimo que se pode desejar a um ser humano para poder viver com dignidade, mas a moral continua dia após dia a ser apregoada, mas tratar tal mal ninguém se digna fazer, só quando alguém morre nas condições em que este português morreu é que aparecem a lamentar, neste caso até foram duas figuras de alto relevo, um de Inglaterra e outro de Portugal, para quê tamanha hipocrisia? Agora não! Ele o Marcus já cá não está, ele não lhes vais agradecer, ele morreu! Porque as sociedades estão e são ainda muito desumanas, e eu como humano e cheio também de pecados, lamento que ainda no século 21 existam pessoas a serem tratadas como ratos, isto é um crime das sociedades, não é por falta de recursos, não digam isso! É simplesmente por falta de humanismo!
Para quando o fim destes dramas? Resta-me repudiar os seres humanos responsáveis, e nada mais.