10/12/2016

Cada vez mais acredito que existe racismo etário e descriminação aos mais velhos


Os condutores a partir dos 65 anos poderão ter que realizar uma formação obrigatória para revalidar a carta de condução.
A medida está prevista no Plano Estratégico de Segurança Rodoviária (PENSE 2020), divulgado pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária.
O plano prevê que os condutores sejam chamados para “aulas para actualização obrigatória de conhecimentos”, aquando da revalidação da carta aos 65 anos. 
Plano divulgado pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária vai estar em consulta pública até 8 de Janeiro. 

À medida que o tempo passa, cada vez mais acredito que este país quer destruir os mais velhos, e esta é mais uma medida de tantas outras que prova isso. Será que os indivíduos com mais de 65 anos são assim tão estúpidos e incompetentes a conduzir? Que os há, há, alguns! Mas esses sempre foram, então essa canalhada de vinte e poucos anos que são uns autênticos loucos nas ruas e nas estradas o que são? São assim tão bons no que fazem, em particular na condução? São? Alguma vez eu me comparo a conduzir com uma pessoa dessa idade? Nunca! Conduzo há quarenta e dois anos, fora e dentro de cidades, estou actualizado, sou e fui sempre cauteloso, sei muito bem o que faço, por isso não admito que um qualquer moço pequeno que manda neste país me venha impor a ida a uma escola para me ensinarem, o quê? Só porque tenho 65 anos?, Então porque não dão a reforma a todas as pessoas aos cinquenta anos? Porquê aos 65 e mais? Com este critério as pessoas com sessenta e cinco e mais também não estão em condições físicas e mentais para exercerem as suas profissões, mas aí não lhes agrada! Não será isto uma descriminação e uma forma de racismo etário? Olhem, é o que me parece, começando pela saúde e pelos direitos dos mais idosos tudo me leva a crer que sim!
Mais uma vez, se há maus condutores não sãos os mais velhos, se fossem assim tão maus com todos estes anos de condução já por cá não estavam a aturá-los a vocês, já tinham morrido todos em acidentes. Responde-lhes, mandando-os à merda!

09/12/2016

Tanto que eles defendem os direitos humanos "HIPÓCRITAS"


 Um condenado à morte no estado norte-americano do Alabama a quem foi administrada uma injeção letal agonizou durante o procedimento que demorou cerca de 30 minutos, foi esta sexta-feira divulgado.
Ronald Bert Smith Jr., de 45 anos, condenado à morte pelo homicídio de um funcionário de uma loja de conveniência em 1994, foi executado na quinta-feira à noite na prisão estadual do Alabama (sudeste dos Estados Unidos). 

É este o país que tanto tem atacado e condenado tantos países pelo mundo fora por não defenderem os direitos humanos, é este o país da liberdade, é este o país que depois tem actos bárbaros como o que a notícia descreve. Se há que haver castigo, que o haja, mas executar uma pessoa desta forma só pode ser criticável, neste caso colocam-se abaixo daqueles que barbaramente não respeitam a vida humana e a desprezam, tenham paciência Sr.s USA, mudem os vossos hábitos e as vossas mentes, porque só assim poderão dizer-se respeitadores da vida humana e sentirem-se com moral para atacarem os que não o fazem, quanto ao resto são apenas hipócritas, quanto a esta matéria, é uma vergonha par vocês, e o mais fico a pensar.

05/12/2016

Supermercado de alimentação saudável


A Sonae MC (Modelo-Continente), unidade de retalho alimentar do grupo de Belmiro e Paulo de Azevedo,  abre amanhã ao público o primeiro supermercado orientado para a alimentação saudável.
Esta inauguração insere-se  na estratégia da Sonae MC de apostar na liderança na área da saúde e bem-estar.

Depois de ler esta baforada sobre uma loja de alimentação saudável, pasmo-me, então aquelas lojas tradicionais não têm como princípio vender comida saudável, se assim é, então estão-nos a vender gato por lebre, e o que nos vendem não é saudável, será? Até acredito!
Quando a notícia diz e fala num supermercado de alimentação saudável eu não entendo este português, porque assim, eu entendo que os outros supermercados vendem-nos de tudo menos produtos com a qualidade desejada à saúde humana, posto isto em quem devemos acreditar, ou então isto é mais uma treta do Marketing e das modernices saloias destes povos e destas gerações expertas que deixam muito a desejar com as sua ideias de gerações que são gerações e mais não digo.

03/12/2016

Portugal, um país triste? Era só o que faltava.....


Um país triste, misterioso, carregado de saudade e onde ninguém diz "bom dia". Esta é a perspetiva do cronista Eric Weiner sobre Portugal, num longo artigo que mereceu destaque no site da BBC.
Com o título "O país europeu que ama estar triste",
a crónica publicada na BBC refere que em Portugal ninguém deseja um bom dia a ninguém. Se perguntar a um português 'como está?', a resposta mais entusiasmada que poderá receber é um "so so", ou seja, um 'mais ou menos'. Aparentemente, somos um povo contente por ser descontente – por isso, ninguém deve sentir pena dos portugueses.

Ora então vamos lá a tristeza dos portugueses, segundo o site da
BBC, os portugueses adoram estar ristes, isto será verdade? Não parecem, quanto a mim, eu sou um tuga que por vezes me interrogo se este este povo vive com tristeza, mas a verdade é que vivemos com tristeza, e se existem razões para a tal falta de alegria, existem centenas delas, e se fosse aqui falar em quais, não teria tempo para tal.
Todos os portugueses com a exceção de alguns bons optimistas, sabem que é presente a tristeza na mente dos portugueses, num país onde se ganha pouco, num país onde o futuro é negro, num país de emigrantes, num país onde a saúde é um caos, num país que de modos gerais é mau, num país que é pobre para uns e muito rico para outros, num país onde as desigualdades são abismais, num país onde existem pessoas a receberem 200 euros de reforma por mês, num país onde o desemprego abunda, num país onde a democracia ainda está longe, etc, etc, ora só por isto sempre existiu a tristeza e continuará e existir, também por isso os portugueses cantam o fado, e não o rock n roll, o fado representa em musica a tristeza dos portugueses, quando se dispunham cantar para ganharem uns trocos para comer e crocket e um copo de três, é isto tudo e muito mais as razões que fazem os portugueses serem tristes, mas mais, que razões poderão ter os portugueses para não viverem tristes? Quem souber que me diga.

02/12/2016

É assim que elas acontecem, no fim faz-se a ivestigação e tudo Ok


A TAP está a ser investigada em Espanha por ter pedido prioridade na aterragem em Santiago de Compostela por emergência de combustível, num voo Funchal-Porto, mas a companhia garante que nunca esteve em causa a segurança da operação.
De acordo com a Comisión de Investigación de Accidentes e Incidentes de Aviación Civil (Comissão de Investigação de Acidentes e Incidentes de Aviação Civil), "uma vez em contacto com aproximação a Santiago [de Compostela] a tripulação declarou 'mayday' por emergência de combustível, uma vez que a estimativa de gestão de combustível indicava que iam aterrar com uma quantidade abaixo dos 989 quilogramas estabelecidos no plano de voo operacional como reserva final".
A aterragem do voo, que transportava 75 passageiros e seis tripulantes, ocorreu "sem contratempo", de acordo com o organismo.

Ler mais em: http://www.cmjornal.pt/cm-ao-minuto/detalhe/tap-investigada-em-espanha-por-aterragem-com-combustivel-abaixo-do-minimo?ref=HP_Grupo1
A aterragem do voo, que transportava 75 passageiros e seis tripulantes, ocorreu "sem contratempo", de acordo com o organismo.
A aterragem do voo, que transportava 75 passageiros e seis tripulantes, ocorreu "sem contratempo", de acordo com o organismo.

Ler mais em: http://www.cmjornal.pt/cm-ao-minuto/detalhe/tap-investigada-em-espanha-por-aterragem-com-combustivel-abaixo-do-minimo?ref=HP_Grupo1

A companhia garante que nunca esteve em causa a segurança da operação, por acaso não esteve, e se estivesse? Faziam um inquérito e ficavam lá 75 passageiros e seis tripulantes, que falta faziam? Pensam os que tentam poupar, com o fim de obter lucro, é legitimo, mas com esta actividade não se brinca e não se pode poupar quando toca a segurança.
A Tap sempre foi uma companhia onde os portugueses se orgulharam durante anos e anos, ao contrário de outras onde o orgulho é nulo, mas hoje a Tap é uma companhia onde parte dela é privada, e o fim legítimo de um privado é o lucro, só que um avião não é uma casa onde se cobram impostos, em que qualquer coisa serve para fazer o cordeiro paga-los.
Um avião é um avião, e é por estas e por outras que acontecem acidentes que muitos de nós nos interrogamos? Como é possível isto acontecer, e temos o exemplo bem presente do avião que caiu na Colombia com uma equipa de futebolistas e outros, parece que o combustível era pouco, dizem as notícias.........

29/11/2016

15 milhões de euros? Gente sem escrúpulos



Ex-diretor da Segurança Social detido em fraude de 15 milhões levado pela PJ
Na manhã desta passada segunda-feira, a PJ avançou com cerca de uma centena de buscas, em vários pontos do país, incluindo nas ilhas, numa investigação que aponta para uma fraude na ordem dos 15 milhões de euros.
Há suspeitas de crimes de associação criminosa, fraude fiscal qualificada, burla tributária contra a Segurança Social, burla qualificada, insolvência dolosa, corrupção e branqueamento de capitais.

Mas então, nós não temos os nossos impostos entregues a boa gente? Pelos vistos não! Mais um senhor que parece que se abotoou com 15 milhões de euros oriundos da nossa Segurança Social.
Agora pergunto eu assim, então e se a este senhor lhe fosse pedido a sua declaração de rendimentos e a de património? Será que ele quereria mostrar? Anda por aí gente que se recusa, olhem lá........., é que por aí e a governarem os nossos euritos anda muita gente séria como este senhor director da S Social, e só por isso merecem ser remunerados com as tais centenas de milhares de euros por ano, com dinheiro dos que ganham o tal ordenado mínimo nacional e a tal pensão de reforma de 200 euros, bem-haja a este senhor e a outros que por aí se ouve falar da seriedade. 
Tenham vergonha e respeitem o nosso dinheiro, sejam honestos e não sejam gente sem escrúpulos.

28/11/2016

Afinal o homem não teme e entrega declaração


                                         video

Afinal, António Domingues vai entregar declaração de rendimentos A equipa demissionária da CGD quer mostrar que a saída não está relacionada com as declarações de rendimentos, mas sim com o que consideram ter sido uma politização exagerada em torno do banco.

Esta política portuguesa só dá para rir, afinal o homem não teme e entrega a declaração, uma para cá e outra para lá, e assim vai a política portuguesa, o melhor é rir-mos e bem.
As razões da demissão não são a entrega da declaração de rendimentos, como se vê na postada a baixo, mas sim a falta de condições práticas para continuar, e esta?

Quem não deve não teme, e quem teme é porque deve


A recusa em entregar declarações de rendimentos foi uma das polémicas que assinala o curto de mandato à frente da CGD de António Domingues, o banqueiro que o governo socialista foi buscar ao BPI.
Nascido na pequena freguesia de Sabadim, concelho de Arcos de Valdevez, António Domingues deixará a CGD a 31 de dezembro com 60 anos acabados de fazer.
António Domingues, à data vice-presidente da Comissão Executiva do Conselho de Administração do Banco Português de Investimento (BPI), foi o nome escolhido pelo executivo para suceder a José de Matos, tornando-se no 23.º presidente da administração da CGD.
A primeira polémica surgiria quando o ministro das Finanças, Mário Centeno, referiu no parlamento o valor da remuneração dos gestores, recebendo em valor bruto António Domingues 423 mil euros anuais e os vogais executivos 337 mil euros por ano, à parte a remuneração variável, que pode ir "até metade da remuneração fixa".
Esta polémica seria posta de lado com uma nova e que se prolongou pelas últimas semanas: a recusa dos administradores da equipa de António Domingues em apresentarem as suas declarações de património e de rendimentos ao Tribunal Constitucional (TC).
Na sua carreira, o banqueiro já tinha sido administrador não executivo da NOS, vogal do Conselho de Administração da PT Multimédia e ZON Multimédia, diretor central da Direção Financeira do Banco Português de Investimento e membro da Comissão Executiva do Banco Português de Investimento.

E é assim este país, que se chama Portugal, diz a lei portuguesa que para cargos de administração publica os mesmos devem apresentar as suas declarações de rendimentos e de património, mas este senhor recusa-se a apresesntar, a razão só ele sabe, e como quem não deve não teme, ele, só tinha que fazer, que era apresentar, mas o homem não, não fez, então e perante a lei só há que suspeitar, é porque o que ganha não o declara todo, e o seu património não foi ganho com honestidade, ou não será assim que se pensa? Mas aqui está a protecção que este país sempre deu e continua a dar a umas certas elites, obrigando os Zés da rua a entregarem tudo e mais alguma coisa, e quando não, até os simples garfos de cozinha os vão buscar, interrogando-me eu quanto a estas situações, digo assim: Que país é este, e que democracia é esta?
Afinal existem em Portugal cidadãos de diversas classes, de 1ª, de 2ª, de 3ª e de 4ª, na carreira deste poderoso vê-se os sítios por onde o homem passou, e cá estão as empresas de monopólio, as tais que fazem o que querem e como querem e sempre explorando o cidadão que delas requisita os seus serviços, as PT,s as Zons, os Bancos que quando estão aflitos se valem do dinheiro do contribuinte, etc. 
Agora é o banco público, que para lá, lá vão mais uns quantos mil milhões de euros para recapitalização, e num país onde muitos ganham ordenados de miséria e pensões de reforma de 200 euros por mês, onde trabalharam 50 e mais anos das sua vidas, por isso eu digo, que país é este? E a resposta é! É UM PAÍS DE MERDA!

25/11/2016

Uma Europa em crise de identidade? Será?

Norbert Hofer, candidato da extrema-direita, defende a realização de um referendo sobre o estatuto do país na União Europeia. Mais um passo para a anunciada desagregação europeia. 
O candidato da extrema-direita às presidenciais austríacas do próximo dia 4 de dezembro, Norbert Hofer, irá apoiar a realização de um referendo sobre o estatuto de Estado-membro da União Europeia, caso o bloco se torne mais centralizado após o Brexit. Uma questão já suscitada por políticos em países como França, Holanda ou Dinamarca.
Hofer, que poderá tornar-se no primeiro presidente de extrema-direita da União Europeia, afirmou que a UE é importante para a Áustria, mas que quer “uma União Europeia melhor.
No rescaldo do Brexit, o eurodeputado eurocético sueco Peter Lundgren sugeriu que a Suécia e a Dinamarca “estavam à beira” de sair da UE e que poderia criar-se um “bloco económico nórdico” liderado pelo Reino Unido.

Afirmações como a que está descrita a cima faz-me pensar mais um pouco qual será o futuro desta UE, uma vez que a mesma não tem funcionado talvez como era esperado, por isso, o pensar de alguns lideres políticos sobre a saída dos seus países da mesma UE.
Face a isto, há que lembrar que a UE tem sido um fracasso, e nesse fracasso, contam-se vários exemplos que todos nós sabemos quais são, e se uma coisa qualquer é um fracasso, só há um caminho a seguir, que é? Sair, e aí estou de acordo a100%.

24/11/2016

Eles são sempre inconclusivos porque lhes falta o Knoow-how


A reunião entre o Governo e os parceiros sociais para discutir a actualização do salário mínimo nacional (SMN) foi Inconclusiva, tendo as confederações patronais e sindicais uma semana para enviarem as respectivas propostas ao executivo. 
Não foi uma reunião fácil e acabou como começou: sem decisões. Ainda não há assim “fumo branco” na Concertação Social. Agora terá que haver propostas dos parceiros até ao dia 2 de Dezembro para uma nova reunião dia a 19 de Dezembro que pode, ou não, ser conclusiva.

Quem quer abrir um pouco os cordões à bolsa? Estes senhores como entidades patronais têm alguma razão, não é fácil ser-se patrão e pagar ao fim do mês, mas ainda é mais difícil ser-se empregado e receber o miserável ordenado mínimo que se paga em Portugal, mas para alguns destes senhores das confederações patronais isso não é de realçar, seria muito bom para eles se nada pagassem e os trabalhadores fossem escravos.
 Quem vive bem neste país? Não são os trabalhadores, são na sua maioria os patrões, e quem não pode ser patrão que não seja e entregue essa responsabilidade a quem tem esse Know-how.