24/03/2017

As poupanças dos portugueses




A taxa de poupança das famílias portuguesas voltou a aproximar-se de mínimos históricos. Os agregados familiares poupam menos de um em cada vinte euros que recebem.
Nos primeiros três meses de 2016, a taxa de poupança atingiu o valor mais baixo desde 1995, ano em que o INE começou a compilar estes dados: 4,1%. Depois desse mínimo histórico, iniciou-se uma recuperação, que foi agora interrompida nos últimos três meses do ano passado, com uma diminuição de 0,2 pontos percentuais da poupança. 

Em relação a esta matéria só a rir é que nos entendemos, porque falar em poupança claro que dá vontade de rir para não nos pormos a chorar.
Com que então poupanças? Então será que a maioria dos tugas deste país nos dias que correm pensam em poupanças? Até pensam, mas do pensar à realidade de poupar vai um distância muito grande, um tuga ou tugas que neste país de sonhos auferem os salários miseráveis e adquirem os produtos a preços de luxo e de para ricos, quando lhes falam em poupar o que será que essa maioria de pobres explorados e mal remunerados podem pensar, talvez o primeiro pensamento lhes ocorra logo em chamar-lhes uma mão cheia de nomes, de filhos da mãe para cima, e quererem gozar ainda mais do que o que gozam com a miséria, no entanto há quem receba mais de 5,5 mil euros por dia neste país que tem dos salários mais baixos desta Europa considerada rica, por ser rica e nela os tugas estarem inseridos acham que podem poupar, mas será que alguém não pode poupar, talvez alguns sim, e de verdade até poupam, só que essa poupanças vão para os bons carros adquiridos a crédito, e aí como muito ou pouco sacrifício a poupança vai-se fazendo, mas a conta de poupança vai à medida do tempo sendo cada vez menor, ou talvez nula.
Os produtos alimentares neste país são em relação aos países que auferem 4 a 5 vezes mais que nós muito mais caros, a saúde e seus complementos idem, consultas médicas muito mais caras, rendas de casa talvez sejam um pouca mais baratas, valha-nos isso, as energias e os seus monopólios que pagam os tais 5,5 mil euros por podia são a preços de monopólios, as águas indispensáveis à nossa vida são como que artigos de luxo, as telecomunicações são outros tabus onde os preços são de luxo pagos a empresas que cobram preços a seu belo prazer e por isso estão a ser investigadas por subirem os preços sem avisarem os clientes, e ainda nos falam em poupanças, acabo como comecei, rir para não chorar quando me falam em poupanças, só se for de miséria.

23/03/2017

Um pequeno Pinto a olhar para 2 tubarões


Sem os media, Google e Facebook eram Páginas Amarelas com gatinhos a tocar piano.

Francisco Pedro Balsemão atacou as duas empresas distribuidoras de conteúdos por absorverem a maior parte das receitas publicitárias, reclamando "transparência fiscal" e o pagamento dos direitos de autor.
Francisco Pedro Balsemão contestou esta quinta-feira, 23 de Março, a dicotomia entre os media ditos tradicionais, que são vistos como os dinossauros – "algo do passado e que vai acabar" – e os chamados novos media, que descreveu como "os cãezinhos fofinhos da Scotex". E aponta essa distinção como "um erro porque os media têm estado na linha da frente das alterações tecnológicas ou na adaptação dos seus conteúdos" ao novo paradigma.
A mensagem do CEO do grupo Impresa tinha um destinatário que estava sentado mesmo ao seu lado durante um debate realizado na Exponor: o "country manager" da Google Portugal. É que, mesmo que não revelem o valor das receitas publicitárias por país, as estimativas dos grupos de media apontam que tanto esta plataforma como o Facebook ficam com 60% a 75% do bolo total das receitas da publicidade digital, que em 2016 superaram o segmento de imprensa.

Se não fossem os media a Google e o Facebook eram Páginas amarelas, diz o Ceu da Impresa, talvez, só não diz é onde, em Portugal? É possível, e se não fosse a Google o  Facebook e outros o que seria o mundo hoje? Teria-mos que aturar os media à medida da vontade dos seus interesses, como era no passado, ler-mos os jornais em papel 24 horas depois dos acontecimentos, lermos de acordo com os interesses da cor política de cada um etc.
Comparar uma Google ou até mesmo um Facebook é querer chegar a onde não pode, e porque não todos os que discordam destas plataformas não começarem eles criar e desenvolver plataformas semelhantes em vez de as criticarem porque comem o maior bolo da exploração do conteúdo publicitário?
Graças a Deus que estes conteúdos de hoje através da internet existem, porque em Portugal não existe ninguém que disponha em conteúdo aberto seja o que for, não existe um sotware free, os conteúdos dos nossos media fecham-se, chateiam-nos porque utilizamos um Ad Blocker quando abrimos os sites dos jornais a eles pertencente, como se fossem pedintes a pedir desliguem o vosso Ad Blocker, os nossos jornais vivem da publicidade, sem ela não seria possível sobreviver-mos, etc, só que os sites portugueses são tão maus a abrir que se não fossem os Ad Blocker a abertura desses mesmos sites demoraria um tempo infernal, ao contrários dos homólogos estrangeiros abrem num abrir e fechar de olhos, e não chateiam por usar-mos os Ad Blocker,s.
Mais ainda, e porque não fazerem os mesmo que os nossos amigos americanos fazem? Estão sempre à espera que algo de novo apareça, por exemplo criar-mos uma Google ou um Facebbok, já que eles ganham tanto dinheiro, seria uma boa forma de combater a concorrência que nos mostra o mundo a custo zero.

22/03/2017

Tiroteio em Londres à porta do parlamento

video

A área frente ao parlamento britânico em Londres encontra-se em alerta máximo após um tiroteio frente ao edifício.
As primeiras informações indicam que pelo menos um homem teria agredido várias pessoas antes de ser abatido pela polícia à porta do edifício. Fonte: Euronews

Afinal o que pretende este pacóvio?


Nenhum europeu andará em segurança O presidente da Turquia Tayyip Erdogan disse esta quarta-feira que os europeus não estarão em segurança no mundo se a Europa não mudar de atitude, segundo a Reuters.

Se a Europa continuar assim, nenhum europeu em nenhuma parte do mundo andará pelas ruas em segurança", disse o presidente aos jornalistas em Ancara. Nós, como turcos, pedimos que a Europa respeite os direitos humanos e a democracia.

Mas então este pacóvio não nos deixa em paz? Afinal o que pretende este ditador pacóvio? Que não larga a Europa? O homem deve sofrer de alguma doença de paixão para com os europeus, não nos larga, ainda não entendeu que as origens dele e do seu país não se coadunam com a cultura europeia, mas inveja-nos, pretende entrar cá dentro e se calhar pensa ele pôr e dispor.
A Turquia é um país asiático, muçulmano e não democrático, só por isso nunca deve pertencer a um continente que criou o mundo e a ele se deve a democracia e o seu desenvolvimento.
Este imbecil pretenderá chatear-nos? Penso que sim, mas não vejo ninguém a o mandar procurar outra freguesia e dizer-lhe que chega, e para isso bastava pôr os pontos nos iiiiii.
O homem está a ameaçar os europeus, dizendo que nenhum europeu estará em segurança na Europa e no mundo, isto é uma ameaça, e muito perigosa, não há ninguém que o interrogue e lhe pergunto afinal que ameaça é esta? Espero que haja alguém nesta Europa que lhe puxe as orelhas ao menos.

21/03/2017

Copos e mulheres, copos talvez, mulheres? Outras coisas.....


O presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, acusou o Sul da Europa de desperdício de dinheiro em "copos e mulheres", durante a crise que conduziu aos resgate financeiro de países como Portugal, Grécia ou Espanha. E recusa pedir desculpas.
Ainda segundo o mesmo jornal, o presidente do Eurogrupo foi confrontado com as suas declarações, esta terça-feira, por alguns deputados do Parlamento Europeu, que as consideraram "insultuosas" e "vulgares". Ainda assim, Dijsselbloem fez questão de dizer que não acha que tenha de pedir desculpas, insistindo antes que a solidariedade na eurozona só pode ser assegurada se todos os governos cumprirem as regras da dívida e do défice.

Diz o presidente do Eurogrupo que os países do sul da Europa gastam o dinheiro em copos e mulheres, ele não diz mentira nenhuma, só erra nas mulheres, eles gostam assim tanto de mulheres? Eles gastam talvez nos copos, mas o pior ainda não são os copos, o problema está noutras coisas meu caro Jereon, eles os da Europa do sul não sabem é governar os seus países, eles não sabem gerir os dinheiros públicos, não sabem gerir os países que se candidatam para os governar, aí está o senhor errado, porque não é nos copos, talvez numas festas, mas aí aponte antes às autarquias, que gastam os seus orçamentos em grande parte em festas, porque sabem que este povo sem umas festas e uns bailes mandados não vão lá.
Gastam também em muitas asneiras, e porquê? Porque são maus gestores e o dinheiro não é deles, quando precisam aumentam uns impostos, mesmo que o povo passe umas necessidades, isso não importa.
Faz muito bem em critica-los, se os países do sul da Europa são o que são não são porque o sol é mau ou as pedras não prestam, é sim porque os povos e os seus governantes são maus, e nestes países do sul onde se encontra Portugal, ai Jesus, deixem-me fugir.............., mas quando são criticados não gostam e por isso vêm pedir o seu afastamento, continuo a criticá-los, porque em caras sem vergonha uma verdade dita nunca é bem vinda.

17/03/2017

Façam 5 filhos, diz o ditador turco que volta a provocar a Europa


O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, apelou esta sexta-feira aos turcos da diáspora na Europa para formarem famílias com pelo menos cinco filhos, considerando que seria "a melhor resposta" face "às injustiças" que enfrentam.
Educai os vossos filhos nas melhores escolas, assegurai-vos que as vossas famílias vivam nos melhores bairros, conduzam os melhores automóveis, vivam nas melhores casas e façam cinco filhos, e não apenas três. Porque vocês são o futuro da Europa", declarou Erdogan, num discurso em Eskisehir, sul de Istambul.

Façam 5 filhos, porque vocês são o futuro da Europa, diz o imbecil turco, ao fazerem 5 filhos leva a crer que no futuro estão em maioria, e assim se assenhorarem do velho continente, se isto não é uma ameaça então o que é? A melhor resposta a dar a esta trampa seria a Europa dizer-lhes, filhos? 1 apenas, caso contrário serão repatriados, e assim calaria a voz a estes e outros imbecis como ele. A Europa é nossa! Dos Europeus!