• INICIO
  • Facebook
  • Twitter
  • Google +
  • Youtube
  • Contacto
  • Comentar
  • Feeds/Posts

17/07/2017

Eu é que me sinto em minoria, perante as minorias


Os ciganos vivem quase exclusivamente de subsídios do Estado Recentemente disse que somos demasiado “tolerantes com algumas minorias”. De que minorias falava?
Vou-lhe ser muito direto: eu acho, e Loures tem sentido esse problema, que estamos aqui a falar particularmente da etnia cigana. É verdade que em Loures há mais, com uma multiculturalidade grande, mas em Portugal temos uma cultura com dois tipos de coisas preocupantes: uma é haver grupos que, em termos de composição de rendimento, vivem quase exclusivamente de subsídios do Estado, outra é acharem que estão acima das regras do Estado de direito. 
Cumprir com as regras de habitação social. Eu tenho imensos relatos em Loures de situações em que são ocupados imóveis ilegalmente e a câmara nada faz para os tirar de lá. Porquê? Porque seria racismo e xenofobia. Mas não é racismo, é fazer cumprir a lei. Você vai à Quinta da Fonte a qualquer hora do dia e vê pessoas a ocupar o espaço público no meio da rua. Nos transportes públicos é a mesma coisa: vários munícipes queixam-se de pessoas de etnia cigana que entram nos transportes, usam os transportes e nunca pagam, e ainda geram desacatos. Quem está a pagar isso somos todos nós. 

Afinal em que ponto estamos? Não sei se vive num país que dizem que é democrático, se vive numa democracias das minorias ou da maiorias, nos dias que correm acho que quem está em minoria é a maioria, porque chamar preto a um preto é ser racista, chamar branco a um branco como eu não é coisa nenhuma, também deveria ser racismo, chamar cigano a um cigano idem, lá está o racismo em evidência, afinal em que ponto estamos?
Essas tais minorias de facto usam e abusam do crédito que lhes dão, os ciganos estão na Europa pelo que tenho lido há cerca de 800 anos, mas tal é a raça que ainda não se socializaram connosco, porquê? Tal não é a raça.
Os Pretos, desculpem lá, os negros a mesmíssima coisa, só de olhar-mos para eles suas Exª.s se ofendem, dizem-nos logo, ainda não viu um preto? É racista, é a resposta do prt. negro, se se lhe os corrigimos de alguma coisa, a palavra primeira é logo o racismo, ora merda para isto.
Falar com um cigano é impensável, são agressivos, são maus e poderosos, será que vivem num outro país que não o meu? Tenho muito medo deles, não arrisco qualquer dialogo com essa gente, aparecem às dúzias e a intenção é sempre o ataque, vivo com medo dessa gente.
Os negros idem, são um pouco mais moderados, mas muitos deles deixaram ainda a civilização na savana, e temos visto o que se tem passado neste país, não é pouco.
O André, tudo o que ele disse eu subscrevo, não tenho nada contra ninguém, nem contra as minorias nem contra as raças ou seja o que for, mas quem se sente hoje em minoria são os verdadeiros portugueses, os tais brancos, será que também vamos ter que chamar de racismo a que nos chamar de brancos? Digam-me lá como é que devemos nos intitular para nos indentificar-mos? Será que devemos pedir que nos chamem de caucasianos? E os pretos sabem o que isso é? E os ciganos? Ai esses, que Deus nos valha, porque por este andar um dia destes estão a nos governar, e como vai ser? Que Deus nos valha! Por isso, cada um no seu lugar, nos seus países e nas suas culturas, caso contrário isto vai tornar-se muito difícil para nós, os tais brancos, mas que racismo, branco, eu não sou preto, sou branco por isso não me incomoda nada.

Sem comentários: